Abarca | Comunicação Integrada

TEMPERAMENTOS: como usar com eficiência suas habilidades e melhorar suas falhas

Temos falado na importância do autoconhecimento para um aperfeiçoamento no trabalho e nos relacionamentos, então, vamos nos aprofundar um pouco mais.

Você já ouviu sobre os quatro temperamentos?  Todos temos os quatro, porém, um ou dois se sobressaem mais fortes, o que faz a nossa personalidade mais extrovertida ou introvertida, mais ousada ou mais grudada ao chão. Nada melhor do que saber em que grupo você está para poder evoluir. O ideal seria que trabalhássemos nossa personalidade buscando o que cada temperamento tem de forte e amenizando os pontos fracos. Penso que se você desejar mudar, você consegue. Pode ser que você não chegue ao nível da pessoa que é natural em determinada área, mas você sempre pode melhorar.

Vamos aos temperamentos com suas qualidades e defeitos, observe e veja onde você se encaixa naturalmente e consequentemente, ver o que precisa melhorar :

Sanguíneo

  • Qualidades: comunicativo, entusiasta, simpático, companheiro, compreensivo, crédulo.
  • Defeitos: inseguro, impulsivo, indisciplinado, barulhento, egocêntrico, exagerado, volúvel.
  • Se encaixam bem como atores, vendedores, oradores e por aí vai…

Colérico:

  • Qualidades: otimista, líder, enérgico, independente, prático, audacioso, eficiente, decidido.
  • Defeitos: impaciente, intolerante, sarcástico, vaidoso, prepotente, auto suficiente.
  • Se encaixam bem como produtores, consultores, líderes.

Melancólico:

  • Qualidades: minucioso, leal, sensível, dedicado, perfeccionista, idealista, habilidoso.
  • Defeitos: egoísta, confuso, anti social, pessimista, crítico, teórico, vingativo, mal humorado, inflexível.
  • Se encaixam bem em atividades como artistas, músicos, inventores, filósofos, mestres.

Fleumático:

  • Qualidades: calmo, responsável, eficiente, conservador, prático, tranquilo, líder, diplomático, bem humorado.
  • Defeitos: calculista demais, temeroso, desmotivado, indeciso, desconfiado.
  • Se encaixam bem atuando como diplomatas, professores, técnicos, administradores.

O assunto é muito vasto, passamos bem na superfície, mas creio que já seja suficiente pra você se autoavaliar e perceber em que grupo você está.

Agora você avalia em que área você está trabalhando e poderá perceber porque algumas coisas são simples pra você enquanto outras são até um pouco pesarosas.

Pense um pouco, para uma pessoa a frente de um negócio que está mais para o temperamento fleumático em que calcula demais para a tomada e decisões e é também muito indeciso, fica bem difícil evoluir em um negócio, não acha? É preciso bastante esforço para crescer, mas é possível. Como? Trabalhando a insegurança e trazendo pra perto de si pessoas motivadoras e que acreditam em você, e claro, você precisa exercitar a autoconfiança, evolua!

Para contratar alguém para trabalhar com você: você tem um vaga para vendas, fica difícil contratar um melancólico que é caladão e um tanto pessimista, e isso pesa muito quando se tem que atingir metas! Ta entendendo?!

Isso se faz importante também para montar uma equipe de trabalho. Quando se tem pessoas que sabem calcular bem os riscos de uma decisão trabalhando junto com pessoas que não tem medo de executar a decisão, bummm!!! Coisas grandiosas podem acontecer. Mas é preciso aprender a respeitar as diferenças e a trabalhar em equipe. E claro, aquele que é pessimista precisa aprender a esperar coisas boas da vida, e aquele que não quer pensar em nada antes de realizar, precisa aprender que calcular um pouco antes pode ajudar.

Se você está à frente de um negócio, avalie-se e se esforce para mudar. Não queira ser a mesma pessoa “até morrer”, sempre podemos ser melhores.

Se você for contratar pessoas, te ajudará muito colocar os perfis lado a lado, da necessidade que você tem e das pessoas que se apresentam, isso pode te poupar dores de cabeça, tempo e dinheiro.

Mas entenda, existem coisas que são tua essência, e você jamais pode perdê-la, e existem coisas que foram as circunstâncias da vida que te fizerem ser o que és, e essas sim podem ser trabalhadas e transformadas. Conhece-te e veja o que é você verdadeiramente e o que a vida te ensinou a ser e, se puder melhorar esse aprendizado, melhore!

Por Cleiva Araújo – graduanda em Psicologia pela Faccat e colaboradora estratégica da Abarca

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn