Esqueça que você não nasceu numa família rica, que seu pai não é um empresário. Esqueça também que você não tem o chamado espírito empreendedor.

Saiba que é possível criar e fortalecer o espírito empreendedor e erguer, quase do nada, uma empresa de sucesso.

Muitos logo descartam o sonho de ser um empreendedor com a desculpa que não tem dinheiro. Mas muitas vezes dinheiro na mão não é a melhor solução para abrir uma empresa. Pelo contrário, pode ser a principal razão para um fim empresarial desastroso. Conheci um empresário que ao abrir a sua primeira empresa, logo correu para o mais luxuoso shopping da cidade e alugou uma enorme sala. No final de um ano, cada mês acumulou mais prejuízos e até hoje paga essa dívida, agora do salário de professor universitário.

No entanto também conheci uma empresária que sonhava em construir uma empresa de moda feminina. Começou indo de ônibus até São Paulo, uma vez por semana. De lá trazia roupas feminina diferentes e oferecia aos parentes e vizinhos. Ao poucos criou uma clientela fixa. Ai abriu um posto de venda na própria casa, sempre focada na moda feminina. Os clientes aumentavam, pois sempre foi uma boa vendedora, e então decidiu abrir uma pequena loja, num pequeno shopping. Não parou de crescer, criou uma marca e hoje ela mesma produz, na sua própria indústria, grande parte das roupas que vende numa cadeia de lojas espalhadas pelo Brasil.

Nesses dois exemplos estão contidos ensinamentos fundamentais para abrir uma empresa e começar a realizar o sonho de ser empreendedor, de forma correta, mesmo sem dinheiro.

  1. No início, reduza ao máximo seu custo fixo (aluguel, empregados, máquinas e equipamentos)
  2. Ofereça para parentes, vizinhos e amigos seu produto ou serviço. Veja a reação de cada um. Mais favoráveis ou desfavoráveis para uma futura compra do seu produto ou serviço. Atente para saber se é preciso alterar alguma coisa.
  3. Faça realmente o que você mais gosta. Não adianta abrir uma loja de vinho se na verdade o que você mais gosta é tomar uma cerveja gelada.
  4. Inove. Isso é muito importante. Apresente um produto ou serviço que tenha um diferencial em relação aos existentes no mercado. Vale a recomendação da consultora Vanessa Tobias: “não use calcinha bege”. Ela justifica que essa calcinha até cumpre a função, mas não agrada ninguém. Fique atento, então, pois ocorre o mesmo com um produto ou serviço de uma empresa.
  5. Seja vendedor. Venda de todas maneiras possíveis o seu produto ou serviço.
  6. Foco. Saiba onde você quer chegar.
  7. Persistência. Vários obstáculos vão surgir no caminho. Pode corrigir o caminho, mas mesmo assim saiba onde quer chegar.
  8. Determinação é fundamental para chegar ao objetivo.
  9. Otimista sempre.
  10. Seja bem vindo a economia criativa. Seja feliz com você mesmo, com seus produtos ou serviços, com a sua empresa, seus colaboradores, com seus fornecedores e parceiros.

Fonte: https://goo.gl/wocRgt